an-dando

pesquisar

 
Segunda-feira, 27 / 02 / 12

Respirar

Hoje decidi que vou fazer só o que me apetecer. Demorei um bocado a decidir isto mas, dado o avançado do dia, achei que já não tinha remédio. Tudo o que eu achava que "devia" não ia caber no resto dos minutos. Então percebi que a minha salvação seria sem dúvida, desistir, deixar de lado os "devia" e simplesmente cancelar e arranjar boas alternativas para o que não queria adiar.

 

De repente fiquei com todos os restantes minutos... De tal forma que até deu para vir aqui escrever estas poucas linhas!

 

Respirar!

publicado por an-dando às 16:01
Domingo, 01 / 01 / 12

Acima e além

Ergue-te acima de ti

Para cima e para além

Rumo à Esperança

Sem dúvida e sem medo

Ergue-te acima de ti

 

Em cima e além

Existe algo que ainda não viste

Algo que ainda não viveste

Algo que espera o seu momento

 

Do teu interior sai a chama definidora

 

Dentro de ti está a seta do lanceiro

A direcção, o sentido do movimento,

A velocidade, a determinação,

A certeza de poder cruzar o ar.

 

O futuro aguarda-te em cada momento

Acima e além.

Feito dos teus momentos presentes

Feito de nadas diários.

 

Não é soma das partes,

Não é lógica numérica,

Não é causa-efeito.

 

Mais do que linear

O desafio existe numa outra dimensão

O desafio está acima e além.

 

Ergue-te porque te foi dada essa capacidade

Ergue-te porque é essa a tua natureza

Ergue-te porque o teu cerne o anseia

Ergue-te porque já chegou o momento.

 

Sem medo, sem dúvida.

Acima e além.

Já.

Agora.

publicado por an-dando às 22:18
Terça-feira, 20 / 12 / 11

Votos para hoje e para 2012

Que eu consiga transformar a dor do Caminho em coragem, exemplo, alegria, sucesso, realização, amparo, comunhão.

Que a dor não me tolha os movimentos e que eu não impeça a energia de fluir de mim para os outros e dos outros para mim,

Do etéreo para o físico e do físico para o etéreo.

Que eu consiga sempre criar a gratidão no meu coração

E viver cada dia com o melhor do que me é dado,

Com o melhor de mim mesma.

Que eu consiga ir para além do sofrimento,

Para esse lugar tranquilo que existe no meu coração

E que me mostra a plenitude, a outra dimensão das coisas,

Uma pequena perspectiva maior que esta realidade em que vivo.

 

publicado por an-dando às 10:16
Quarta-feira, 05 / 10 / 11

Músculos

Será que posso ser responsável daquilo que não sei? Será que os impactos menos bons do que faço sem consciência me podem ser imputados? Neste mundo, claro que sim; no outro, não sei.

Diz-se que o Caminho é um e que tanto faz: posso caminhar de dia ou posso caminhar de noite; posso usar o meu lado mais nobre ou o meu lado mais vil; posso tomar mais atenção ou ignorar o que se passa. Nada disto terá importância porque o que preciso será sempre colocado no meu caminho.

O que faço com o que está aí?

A resposta é sempre a mesma: abraçar.

Essa é a forma de a consciência mudar, de ver mais longe, de perceber um pouco mais, de ir mais além.

O físico é apenas isso: físico. Corpo, matéria. Dinheiro, crise. Horizontes curtos, limitações.

A consciência dessas limitações, a dor que isso me provoca, a rejeição que surge e que tenho que fazer esforço para perceber que não me serve, o trabalho que me dá a aceitação do que não posso modificar... isso é o Caminho. Esse torcer do meu Interior, o estender os músculos do meu Eu, alongar e puxar cada tendão do meu Âmago...

Ah pois, a minha Alma a ficar mais musculada!

publicado por an-dando às 21:55
Domingo, 02 / 10 / 11

Novos formatos

Hoje de nada me serve a habitual rigidez.

Não me é útil o preconceito, a obrigatoriedade,

O ter que.

 

Vergar-me perante a realidade

Simplesmente não funciona.

 

Não posso mais violentar-me.

 

O processo é integrar, digerir, abrir.

 

A dura carcaça jaz no chão

Feita em pedaços.

 

A descoberta do novo formato,

Do novo corpo, da nova dimensão

Está em marcha.

 

Em vez da dureza, o carinho.

Em vez da pressa, o tempo.

Em vez do amordaçar, libertar.

Em vez de controlar, entregar.

publicado por an-dando às 23:49
Quarta-feira, 14 / 09 / 11

Fluir

Deixando-me ir pelo rio da vida,

Flutuando sem sequer imaginar,

Sem querer nem desejar

Simplesmente ser leve

 

Descobrir o céu que de lá longe me encanta

Olhar as folhas e flores das margens

Sentir o aconchego da água nas minhas costas

E deixar-me ir...

 

Sem pressas

Sem ideias

Sem rumo

 

Acreditar que o rio sabe mais

Saborear  instantes de libertação

Dispor do momento, sem intenção

 

 

 

publicado por an-dando às 00:22
Sábado, 10 / 09 / 11

Tempo de ....

Foi-me dado tempo para contemplar,

Para me enternecer com a beleza,

Para me deliciar com os sons da música.

 

Foi-me dado tempo para parar,

Para ler livros adiados e novidades,

Para sentir de mim quem sou.

 

Foi-me dado tempo para ser amparada,

Para me deixar levar e amar,

Para ser criança e princesa.

 

Dentro de mim o amor da mãe pelos seus filhos,

Dentro de mim a capacidade de me embalar,

De me abraçar e mimar o meu corpo sofrido.

 

publicado por an-dando às 14:58
Domingo, 04 / 09 / 11

Caminhos de Sabedoria

A sabedoria chega-me das formas mais surpreendentes, inquietantes e inexplicáveis.

Dentro de mim existe um manancial insuspeitado que se revela através das experiências que são postas no meu caminho.

Experiências que nem sempre foram desejadas, nem sempre fáceis.

 

Estar disponível para as viver é a primeira condição para poder aceder a essa sabedoria.

 

A segunda condição é estar disponível para ser transformada, ser catapultada para outra parte de mim mesma, outra faceta desse manancial imenso.

 

A terceira condição é ser capaz de abraçar esse novo Eu, parte integrante do velho Eu. Apesar da surpresa, apesar das interrogações, das dúvidas e de alguns receios. É afinal acreditar que tudo é como deve ser.

 

Os dias são povoados de bênçãos e de amor.

publicado por an-dando às 18:21
Quinta-feira, 11 / 08 / 11

MOMENTOS DIFÍCEIS

Quando a vida se transforma numa sucessão de coisas inentendíveis, injustas, que queremos rejeitar e combater

Quando esperneamos porque não queremos estar onde estamos ou não queremos determinadas circunstâncias

Quando temos dificuldades em adormecer porque na nossa cabeça não páram de rodar filmes de drama e terror

Quando ficamos completamente impotentes perante acontecimentos que não provocámos mas que nos afectam tremendamente

Então... é altura de parar.

 

Dentro de mim existe um mar de tranquilidade onde posso mergulhar se e quando eu quiser.

Algo que existe e que nunca acaba.

Uma Fonte de Coragem, de Determinação, de Ânimo, de Força.

Posso entregar-me a essa Serenidade que me acalma o coração

E me dá a verdadeira perspectiva.

 

Aquilo que me é dado são lições, experiências, testes. Por vezes bastante difíceis.

Cada um vem acompanhado do apoio necessário

Através das pessoas que são postas no meu Caminho

E da Consciência e Sabedoria que são colocadas na minha Alma.

 

Assim, hoje como sempre nada me falta.

Posso estar tranquila, viver o meu dia, fazer o que é preciso e

 

Agradecer.

publicado por an-dando às 08:22
Sábado, 30 / 07 / 11

O chá

O dia estava quente e apetecia estar ao ar livre para aproveitar esse calor há tanto tempo desejado. A mesa tinha sido posta na varanda, à sombra. Pãezinhos de leite, carcacinhas, queijo e fiambre, bolachas. E, claro, o chá. Ela tinha trazido duas magníficas chávenas de chá, inglesas, finas e belas, decoradas com flores e com um passarinho azul. O chá, esse, também tinha vindo de Inglaterra oferecido pela minha nora. Tudo estava perfeito. Os sorrisos, a amizade, o chá.

 

Sentámo-nos. Ela não comeu porque está de dieta. Mas, evidentemente, fez as honras ao chá. Mas o melhor de tudo foi a conversa, a partilha. Falámos das nossas vulnerabilidades, dos nossos limites, das nossas imperfeições. Pensámos em conjunto no significado das coisas, do que nos acontece, das surpresas da vida. Descobrimos os porquês, confirmámos dentro de nós as perspectivas, aceitámos mais um pouco a nossa humanidade, fomos mais longe no entendimento.

 

O vento começou a soprar e ficou um pouco frio. Ela, nascida nas terras quentes de África, tiritou, Fomos para dentro. E a conversa continuou. O chá já tinha terminado; não a nossa partilha. Lá dentro a conversa foi sobre a família, as famílias, pais e filhos, os nossos pais, os nossos irmãos; também sobre dança, paixão de uma, interesse de outra.

 

O tempo fluiu depressa. Na despedida, novamente os sorrisos, os olhares, a evidência de caminhos paralelos que se vão tocando aqui e ali ao longo do tempo. A evidência de que dar as mãos faz sentido, não é difícil e faz toda a diferença. No coração, esse quentinho que nos diz que tudo está bem.

 

A amizade. O chá.

publicado por an-dando às 08:48
Quando me escrevo, descrevo. Quando descrevo, estou. Quando estou, dou.

mais sobre mim

Fevereiro 2012

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29

últ. comentários

  • E é tão bom quando escolhemos respirar e substitui...
  • E há perdas que nos entristecem, nos fazem sentir ...
  • Quando alimentamos sonhos e sabemos o que traz sen...
  • Parabéns! :)
  • Ser, Sonhar, Viver e Apreciar. São as dimensões qu...
  • Como diz o título: "Eu não fiz e tu não percebes n...
  • E que foi que você fez?estou a brincar, não espero...
  • Mas como é difícil estar sem estar, entrar sem ocu...
  • Então, parece que servi de Padrinho.Como tal, um g...

mais comentados

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro